Editorial 2007-Abril

Gloria Arieira

Yatra-Uma Peregrinação

 

Em todo o mundo existem lugares considerados sagrados para diferentes religiões. Na Índia, vários lugares são considerados especiais e sagrados descritos nos puranas. Nesses lugares os devotos sentem a presença do divino e o lugar se torna de peregrinação, chamado tirtha em sânscrito. Na Bhagavad Gita, capítulo X, verso 41, Sri Krshna diz que qualquer coisa que seja especial na criação é uma expressão de Ishvara somente.

 

yadyadvibhutimat sattvam srimadurjitameva va
tattadevavagaccha tvam mama tejo'sasambhavam 

 

O devoto é a pessoa que estabelece uma relação com o Todo, Ishvara. Esta atitude de devoção é chamada bhavana e é ela que faz a diferença entre um turista e um peregrino.

O turista visita lugares bonitos e diferentes e usufrui desses lugares, passeia, descansa, se diverte, aprende sobre o lugar e sua gente. O peregrino com sua bhavana visita o lugar com respeito e reverência, tendo se preparado para essa peregrinação com antecedência. Sua atitude o abençoa e ele é uma pessoa diferente depois de cumprir sua yatra, sua peregrinação.
Antes de seguir para o tirtha, o devoto se prepara durante alguns dias. A peregrinação ao templo de Ayyappa, em Sabari Malai, no Sul da Índia, por exemplo, é muito conhecida. Os peregrinos são homens que se preparam por 40 dias antes da peregrinação anual com uma vida celibatária, alimentação vegetariana e orações. A peregrinação é a pé e dura cerca de três dias, sempre acompanhada de cantos devocionais - Sharanam Ayyappa! Suas bênçãos e proteção, Senhor Ayyappa!

Assim também há preparação para a visita aos 108 templos do Senhor Shiva em Tamil Nadu, a Rameshvaram, no sul da Índia, onde Sri Rama foi em busca de Sita Devi, com a ajuda de Hanumanji.

Um grande tirtha é Kashi ou Benares, existem também outros lugares sagrados à margem do Rio Ganges e onde este encontra-se com o oceano, na baía de Bengala.

Há ainda um grande templo que recebe mais de 20 milhões de peregrinos anualmente, uma média de 50 mil diariamente, que esperam mais de quatro horas numa fila para ter a visão, darshanam, de Balaji, a deidade do templo de Tirupati, no estado de Andhra Pradesh, a 200 km de Chennai. Os peregrinos levam muitas oferendas na forma de dinheiro, jóias, relógios, bilhetes premiados, etc., e o templo é famoso por vasto serviço social oferecido à comunidade.
Todos esses e tantos outros lugares são vistos como especiais pela presença de Ishvara sentida pelos devotos, que inspiram outros a fazer também uma visita ao lugar.

Como os cinco templos onde o Senhor Shiva é reverenciado na forma de cada um dos cinco elementos que recebem milhares de visitas mensais. Uma estória conectada a lugares de peregrinação é a do início da criação quando os devas, os seres divinos e os asuras, os seres demoníacos, faziam a batedura do oceano de leite. Dele sai o Senhor Dhanvantari com um pote de néctar da imortalidade, desejado por ambos os grupos. Os asuras ao tentar pegar o pote para si, deixam cair o néctar em quatro lugares que são, então, considerados sagrados e purificadores. O encontro chamado Kumbhamela ocorre nesses lugares e é dito que um banho no rio em um desses lugares, nesta ocasião especial, purifica o devoto.

São esses - Prayag, Haridwar, Ujjain e Nasik.
Além da visita a lugares sagrados ser inspiradora e abençoar o devoto em sua busca espiritual, ou até mesmo com alguma graça desejada, a yatra é purificadora, libertando o peregrino de sua conta negativa de karma.
Mais alguns lugares de yatra são muito conhecidos, são os chamados Chardham (quatro lugares sagrados), situados nos Himalayas. São eles - Gangotri, Yamunotri Badrinath e Kedarnath. Gangotri é o lugar considerado a origem do sagrado rio Ganges; Yamunotri, a origem do sagrado rio Yamuna; Badrinath é um templo dedicado ao Senhor Vishnu e associado à presença de Sri Shankara no lugar. 

No templo ele instituiu a tradição de pujaris, oficiantes dos rituais, vindos de Kerala, o estado ao Sul da Índia onde ele nasceu. Esta tradição é mantida até hoje. E, por fim, Kedarnath, onde há um templo dedicado ao Senhor Shiva.

Uma yatra é iniciada por um devoto com disciplinas, vratas, que o purificam em corpo e mente e focando sua mente no momento especial de união com Ishvara no local de peregrinação.
Assim, a yatra traz uma transformação com o samadhi alcançado, é a oportunidade para a vivência da unidade, advaitam, quando o indivíduo e o todo tornam-se um. Devido a essa experiência final de não diferença com Ishvara, propícia nesses lugares especiais, a peregrinação é feita por tantas pessoas, principalmente na Índia onde toda a criação é considerada a forma manifesta de Ishvara e assim reverenciada.
 

Om tat sat

Rua Miguel Lemos, 44, sl 902 - Copacabana - Rio de Janeiro/RJ

Cep: 22071-001 | Brasil

Tel: +55 21 2287-2774 ou  98880-3256

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Instagram