O que é Vedanta


O homem é consciente de si mesmo, de um ser que é incompleto.

Essa auto-apreciação é peculiar ao homem, visto que, sendo consciente, ele é

também consciente das próprias imperfeições, o que dá origem ao

descontentamento. Assim sendo, a vida de um dado indivíduo é governada por

desejos que estabelecem o fato dele não estar à vontade consigo mesmo.

Desejos diferem de indivíduo para indivíduo. Não existem duas pessoas com o

mesmo grupo de desejos. Cada um cultiva desejos particulares ao ser influenciado

pelo meio cultural e pelas condições de vida em que nasce e se desenvolve.

Desejos diferem não apenas de um indivíduo para outro, mas vão se

modificando constantemente enquanto vivemos, segundo fatores como idade e

posição social. Aquilo que desejamos hoje não é o mesmo que desejávamos na

infância.

Do ponto de vista da estimação do valor dos objetos, o universo inteiro pode ser

dividido em três categorias:

1. objetos do meu gosto;

2. objetos de aversão;

3. objetos aos quais sou indiferente.

Dentro dessas três categorias, os objetos se permutam.

Quero me divorciar da pessoa com quem casei, de quem gostava. Ela é hoje objeto de desgosto.

Ou ainda, antes eu era indiferente ao futebol, mas hoje em dia o acompanho com grande interesse.

Assim sendo, essas categorias nunca são constantes. Nossos objetos individuais e cultivados são vários e estão sempre a se modificar.